Atualmente, muitas pessoas se preocupem com o aspecto estético das embalagens. Porém, não podemos nos esquecer de que elas são fundamentais para garantir a conservação e a proteção necessárias aos mais diversos itens, seja quando estão estocados, seja em transporte.

Por isso, no post de hoje, vamos mostrar como embalar produtos corretamente. É claro que as embalagens são capazes de agregar valor a um item e à sua marca se forem bonitas e estilosas, mas não podemos perder de vista que elas também precisam ser práticas e adequadas à mercadoria.

Isso garantirá que o item chegue às mãos do consumidor em perfeito estado. Interessou-se pelo assunto? Então, acompanhe os próximos tópicos!

Embalar adequadamente é mais do que proteger de danos físicos

Como a embalagem deve garantir que o produto chegue ao cliente em perfeito estado, é preciso levar em conta a natureza do que está sendo embalado. Pode parecer óbvio, mas muitos lojistas não consideram que “perfeito estado” está longe de ser apenas “não danificado”.

Exemplos disso são as roupas. Pense em uma camiseta de malha bem básica: ela dificilmente vai estragar se for colocada em uma sacola de plástico comum, como aquelas que são oferecidas em supermercados.

Entretanto, pense no estado dessa blusa ao chegar à casa do cliente — toda amassada, em uma embalagem que, ainda por cima, não tem grande personalidade e corre o risco de deixar algum cheiro na peça devido às tintas usadas na confecção da sacola.

Percebe que tudo isso influencia na experiência do consumidor com a marca naquela compra? Portanto, embalar corretamente envolve pensar nos aspectos físicos do produto e em seu transporte, para que ele chegue não apenas sem danos, mas com a melhor apresentação possível ao destino final.

Cada fragilidade exige um tratamento diferente

Quando temos em vista fazer algo chegar em perfeito estado ao cliente, pensamos que produtos frágeis são somente aqueles que quebram, não é mesmo? Porém, todos os itens apresentam algum tipo de fragilidade (e, para cada um deles, existe um tipo de embalagem específico).

Roupas e demais itens de tecido

No exemplo que demos sobre a camiseta de malha, ficou evidente a necessidade de que a embalagem de roupas e tecidos proteja-os não apenas de umidade, manchas, desfiados e rasgos, mas evite que amassem ou peguem cheiros desagradáveis.

Por isso, ao embalar esse tipo de produto, procure envolvê-lo em papel de seda ou kraft. Feche-o com fita adesiva antes de colocá-lo em outro pacote.

Essa segunda embalagem deve ser pensada levando-se em conta o transporte até a casa do cliente: se houver grande risco de molhar, precisa ser impermeável; se o tecido for muito fino, é necessária uma estrutura mais reforçada para que ele não amasse, entre outras possibilidades.

Louças, vidros e outros “quebráveis”

Geralmente, esse tipo de produto já ganha maior atenção quando se trata de embalagem. Mas ainda é muito comum que as lojas deixem a cargo de vendedores ou até confiem na embalagem original desses itens na hora em que o cliente os compra.

Mesmo que sejam os vendedores os responsáveis por embalar os quebráveis, é preciso que eles recebam orientação padronizada e disponham do material adequado para tanto. E o ideal é que se faça peça por peça, com plástico-bolha, papel jornal e até isopor. 

Depois, recomenda-se colocar os itens em caixas reforçadas e com interior revestido. Assim, nenhuma quebra acontecerá durante o transporte.

Líquidos

Os líquidos costumam vir em recipientes de plástico ou vidro — e, para embalá-los, é ideal que esses recipientes sejam hermeticamente fechados e lacrados. Outro aspecto importante é que sejam empacotados e transportados sempre de pé, para evitar vazamentos.

Caso você lide com quantidades maiores, que serão transportadas em caixas, procure por estruturas de isopor que garantam que os potes não tombem ou se choquem uns com os outros. Além disso, considere preencher os espaços entre eles com algum tipo de material absorvente (para o caso de acontecer algum acidente).

Objetos cortantes ou pontiagudos

Assim como os quebráveis, esses objetos já costumam receber maior atenção na embalagem. E as dicas quanto à orientação da equipe para a padronização e a oferta do material adequado também são válidas.

Entretanto, ao lidar com pontiagudos e cortantes, é importante pensar em neutralizar essas características para que não perfurem, por exemplo, caixas e embrulhos. Portanto, o ideal é revestir as pontas e os cortes com plástico-bolha e preencher os espaços nas caixas, de maneira que o objeto não se choque com as extremidades, causando perfurações.

Eletrônicos e aparelhos que já vêm embalados

Geralmente, eletrônicos, eletrodomésticos e afins já têm embalagens que os protegem da melhor maneira. Entretanto, ao revender esse tipo de produto para seu cliente, pode ser interessante oferecer uma segunda embalagem, demonstrando a preocupação de seu negócio com uma melhor experiência de compra.

Porém, é importante que essa segunda estrutura preserve a embalagem original do item, justamente por ter sido especificamente pensada para ele e, também, por questões de garantia. A estrutura adicional pode ser usada principalmente para garantir a preservação do produto no transporte.

Personalizar também demonstra cuidado

Já falamos sobre a importância da embalagem para garantir que um produto chegue em perfeito estado às mãos do cliente, como oferecer uma boa experiência de compra e o que fazer para agregar mais valor ao item e à marca. Agora, não podemos deixar de mencionar que a personalização das embalagens também é de extrema importância.

Pense em todos os esforços que você e sua equipe fizeram para oferecer os pacotes mais seguros e práticos ao público. Quando a pessoa estiver desembalando o produto, se houver um elemento que remeta à marca em cada aspecto da embalagem, ficará mais claro o cuidado da empresa com sua experiência e, desse modo, o cliente perceberá maior valor na marca.

Embalar corretamente vai muito além de garantir que um produto não sofra danos no caminho até o consumidor final. A embalagem é um aspecto importante da relação entre a empresa e o cliente, influenciando diretamente em sua experiência de compra.

Portanto, paralelamente aos esforços de marketing de sua marca, é preciso estudar como montar o melhor pacote para cada produto. Busque não só atender às necessidades do público, mas oferecer uma experiência diferenciada em relação aos concorrentes.

Viu só a importância de saber como embalar produtos corretamente? Para ficar por dentro das últimas novidades sobre esse universo, siga nossa página no Facebook!