Você sabe que a embalagem de um produto é a primeira impressão que fica para o consumidor, não é mesmo? Além de proteger o conteúdo, ela informa e ajuda muito no posicionamento da marca, se projetada da maneira correta. Por isso, os erros mais comuns nas embalagens devem ser evitados a qualquer custo.

No post de hoje, selecionamos 7 problemas que a sua empresa deve driblar na hora de criar e produzir as embalagens que levarão o seu produto até as prateleiras. Confira! 

1. Impressão de má qualidade

O tempo gasto pelo público em um ponto de venda não é longo. Sabendo disso, é vital que a sua embalagem seja atrativa e isso tem muito a ver com a qualidade da impressão gráfica.

Se as cores, as imagens e informações aparecem borradas, desfocadas ou desbotadas em razão de um trabalho gráfico mal feito, é certo que isso passará a noção de desleixo, deixando o cliente com a sensação de que o produto não é confiável por melhor que ele pareça.

Seja cuidadoso com esse aspecto, pois ele é fundamental para a fidelização de clientes e garantia de um bom posicionamento da sua marca no mercado. Lembre-se que os seus concorrentes são inúmeros e farão o impossível para estarem sempre à frente dos demais.

2. Informações erradas

A importância da impressão cuidadosa é inegável, porém, a segurança das informações contidas nos rótulos e embalagens são mais importantes ainda. O consumidor precisa confiar cegamente na data de validade, volume, ingredientes, restrições alimentares, formas de uso, entre outros dados.

Informações equivocadas podem surgir durante a criação, revisão e até na impressão — sendo um dos erros mais comuns nas embalagens. Com isso, elas acabam gerando problemas muito sérios para as empresas. Basta pensar na possibilidade de um produto perecível indicar a data de validade errada, ou o rótulo não alertar sobre a presença de glúten.

Deslizes desse tipo são uma ameaça às vidas dos consumidores, além de resultarem em queda do prestígio no mercado e perdas financeiras para a empresa decorrentes de processos judiciais.

A forma mais segura de driblar esses percalços é contratar redatores e revisores capacitados, exclusivamente para elaborar os textos e as informações que serão impressas na embalagem.

3. Embalagens com dimensões diferentes do produto

Uma coisa que frequentemente decepciona os consumidores é o problema do conteúdo subdimensionado. E o que é isso? É aquele pacote cheio de ar que sempre encontramos em embalagens de salgadinhos, por exemplo.

As pessoas sempre percebem que as dimensões do pacote não condizem com o que está lá dentro, mas isso não se limita a esse tipo de produto. Muitas marcas praticam essa forma enganosa de induzir o público ao erro e isso não é vantajoso para ninguém.

Hoje em dia, os consumidores não gostam de excesso de embalagem por diversas razões, entre elas a dificuldade para abrir e a sensação de desperdício e prejuízo ao meio ambiente.

Contudo, existem exceções compreensíveis: no caso de produtos frágeis, algumas empresas usam ar ou “preenchimento vazio” para proteção. No entanto, é possível utilizar um material translúcido para embalar e exibir o conteúdo, evitando que as pessoas se sintam enganadas.

 4. Materiais frágeis

Sem dúvida, as embalagens são excelentes meios de divulgação e fortalecimento de marcas. No entanto, é crucial não esquecer a sua função primordial: proteger o conteúdo durante o transporte e o armazenamento. Se isso falhar, sua finalidade não estará sendo respeitada.

Por isso, fique atento à qualidade do material escolhido para fabricar as embalagens. Se a função de proteger o produto fracassar, danificando o conteúdo, a credibilidade da sua marca também corre esse risco.

5. Embalagens difíceis de abrir

Esse tipo de obstáculo é desnecessário para garantir que um produto esteja seguro até chegar ao seu destino. Muita gente leva um bom tempo economizando só para comprar algo significativo, e a última coisa que essas pessoas desejam é travar uma guerra com a embalagem na tentativa de descobrir como abri-la.

Os produtos eletrônicos normalmente oferecem esse desafio, que obriga os consumidores a usar tesouras, estiletes e outros instrumentos para abrir o pacote. É claro que isso é motivo de queixas constantes — e com razão. Portanto, o ideal é que os materiais eleitos para a fabricação de embalagens sejam resistentes a violações, mas, acessíveis.

6. Descuido com desenhos e ilustrações

Casualmente, algumas empresas deixam escapar imagens ilustrativas nas embalagens com tom divertido, porém, polêmico. Desenhos e ilustrações inconvenientes — alguns com conotação sexual, por exemplo — podem afetar negativamente a imagem da sua marca e comprometer o seu prestígio diante do seu público-alvo.

A melhor saída para precaver-se desse tipo de erro é confiar o projeto a um profissional devidamente treinado para criar o design da embalagem. Ele saberá como transmitir o que a sua marca deseja passar ao consumidor.

O investimento em um bom design é essencial para manter a sua empresa bem posicionada e forte, evitando que ela fique marcada por erros primários. Ao cuidar da embalagem dos produtos, você zela pela imagem do seu negócio e usufrui dos benefícios de um projeto de design bem elaborado.

7. Desrespeito à legislação

criatividade é extremamente importante, mas é preciso estar atento a outras questões relativas às obrigações legais. Por exemplo, as embalagens de alimentos devem conter algumas informações indispensáveis para a segurança do consumidor, como: a composição detalhada do conteúdo, o prazo de validade e indicações a respeito de ingredientes que possam causar alergia ou intolerância, como o glúten.

Os dados devem, ainda, ser precisos e claros, identificando a empresa corretamente. Os rótulos não podem conter informações falsas, que dificultem a comprovação ou induzam o público ao erro. Ainda sobre produtos perecíveis, é necessária uma vedação hermética, que impeça a contaminação por elementos estranhos.

O código de barras é outro dado fundamental no conjunto de informações, que beneficia os clientes e também a marca. Seguir esses padrões à risca garante a credibilidade e a confiança da sua empresa, além de preveni-la de multas pelo descumprimento das normas.

Esses são alguns dos erros mais comuns nas embalagens, e podem ser evitados se a sua empresa estiver amparada por profissionais habilitados para impedi-los. A embalagem é parte do produto e, se bem projetada, pode ser o melhor diferencial do seu negócio.

E você, já teve problemas porque a embalagem apresentava algum dos erros descritos neste post? Quer saber mais sobre embalagens para alimentos? Então veja nosso próximo artigo e tire suas dúvidas!