Manter a saúde financeira em dia é um passo extremamente importante para conseguir fazer com que o seu negócio tenha sucesso. Porém, nessa empreitada, muitos pequenos empresários podem ter dúvidas, entre elas como calcular fluxo de caixa.

O fluxo de caixa é uma ferramenta administrativa extremamente importante, capaz de ajudar a entender melhor as entradas e saídas do seu negócio, fazer planejamentos financeiros e até tomar decisões mais embasadas.

Apesar de muito útil, ele é bem simples de ser usado e calculado. Se você não sabe direito como o fluxo de caixa funciona, continue a leitura desse texto e saiba tudo sobre o assunto.

O que é o fluxo de caixa?

O fluxo de caixa funciona como uma espécie de “mapa” norteador do seu negócio, contando com todas as entradas e saídas de um determinado período, que pode ser mensal, quinzenal, semanal e até diário. Quanto menor for o tempo de controle, mais preciso será o seu fluxo de caixa.

Essa é uma ferramenta extremamente importante na gestão de qualquer negócio, porque permite que você tenha uma visão clara de onde está sendo usado o capital da sua empresa, identificando a lucratividade do negócio e também apontando possíveis cortes que possam ser feitos, por exemplo.

Embora seja um cálculo simples, o fluxo de caixa, quando realizado corretamente, oferece dados precisos capaz de auxiliar na gestão do seu negócio e na melhora da vida financeira do mesmo.

Como calcular fluxo de caixa?

Para calcular fluxo de caixa, você precisará primeiro ter em mãos todos os débitos e as receitas do período a ser analisado.

Para isso, separe as saídas de acordo com o tipo de despesa, nomeando-as, como: pagamento de fornecedores, pagamento de funcionários, gastos administrativos (telefone, internet, correio, etc.), empréstimos, tributos, aluguel e assim por diante.

Na hora de separar as entradas também é importante identificá-las caso você ofereça, por exemplo, produtos e serviços aos seus consumidores. E, não se esqueça, de apenas lançar no fluxo de caixa aquelas entradas que você realmente recebeu.

Isso significa que se você fez uma venda a prazo, por exemplo, e só recebeu neste mês a primeira parcela, é somente o valor referente a ela que deve constar no cálculo do fluxo de caixa desse período.

Em seguida, defina o período que irá controlar e então basta fazer o somatório de todas as entradas, subtraindo deste valor o somatório de todas as despesas.

O saldo do fluxo de caixa é o resultado da conta acima e é capaz de identificar se o seu negócio está dando lucro ou prejuízo no período analisado.

Quando o fluxo de caixa está bem discriminado, com todos os gastos devidamente nomeados fica fácil visualizar quais são os principais pontos que estão “sugando” a sua receita, planejando formas efetivas de controle das despesas.

Hoje em dia, é possível encontrar planilhas prontas, que ajudam o empresário a manter o seu fluxo de caixa sempre em dia e até mesmo softwares de gestão, que já trazem todos os resultados dos cálculos de forma mais simples e precisa.

Como calcular fluxo de caixa projetado?

O fluxo de caixa projetado, como o próprio nome sugere, é uma estimativa financeira do seu negócio, ajudando você a ter uma ideia de como será o seu fluxo de caixa dentro da próxima quinzena, mês, semestre ou ano.

A intenção é ajudar o empreendedor a antecipar cenários e assim poder se precaver de problemas, ou até mesmo saber como investir o seu saldo positivo.

Porém, para que o fluxo de caixa projetado tenha realmente eficácia é essencial fazer uma projeção realista, baseada em cenários reais que o seu negócio tem enfrentado.

Caso, por exemplo, a sua projeção seja negativa para o próximo mês, você poderá começar a tomar medidas antecipadamente, evitando que isso ocorra, como adiantando a cobrança de alguns clientes pendentes, negociando prazos maiores com fornecedores, recorrer a um empréstimo ou fazendo cortes nas suas despesas.

Por que calcular fluxo de caixa?

Como você deve ter notado, o fluxo de caixa é capaz de auxiliar de maneira muito efetiva na sua gestão financeira e administrativa, oferecendo dados precisos sobre a sua realidade atual e futura. Veja algumas das vantagens do uso dessa ferramenta:

  • maior controle das suas despesas, tornando a sua gestão financeira mais efetiva;

  • dados precisos que ajudam o empreendedor a tomar decisões mais acertadas e de acordo com a realidade do seu negócio;

  • ajuda a prever cenários e evitar situações negativas;

  • melhora o controle financeiro da empresa, auxiliando o empresário a compreender se a quantidade de vendas ou se a margem de lucro dos seus produtos e serviços está adequada para a manutenção do negócio;

  • auxilia a compreender a necessidade de promoções ou liquidações no período analisado e a realizá-las de forma mais acertada;

  • avaliar a capacidade de pagamentos antes de assumir novas dívidas;

  • antecipar as decisões de maneira mais embasada.

Dicas importantes para fazer um bom fluxo de caixa

Crie uma rotina

Infelizmente, o fluxo de caixa da sua empresa somente funcionará de forma efetiva se você criar o hábito de lançar de forma correta todas as despesas e receitas.

Por isso, é recomendável que você estabeleça uma rotina, definindo um dia determinado para essa ação. Isso diminui as chances de esquecimentos, que podem prejudicar a precisão do seu fluxo.

Não confunda vendas com entradas

No tópico sobre como calcular fluxo de vendas, nós lhe demos um exemplo de como lançar uma venda a prazo. É muito importante que você sempre se lembre de lançar como entradas apenas os valores que você já recebeu.

Não é porque você fechou uma venda que já pode contar como certo esse dinheiro, afinal o cliente pode não pagar ou atrasar o pagamento, com isso o seu fluxo ficará impreciso ou comprometido.

Faça planejamentos realistas

Na hora de antecipar cenários é essencial que você seja bastante “pé no chão”. Quanto mais realista for a sua projeção, mais fiel ela será ao cenário da sua empresa e, portanto, mais útil nas horas das tomadas de decisões.

Lembre-se que clientes podem atrasar o pagamento e despesas não programadas podem ocorrer, por isso planeje adequadamente.

Tenha uma reserva para imprevistos

Como dissemos, em alguns meses, pode ser que você tenha de contar com algumas despesas não programadas. Para evitar que seu saldo fique negativo é importante contar com uma reserva para essas situações, como conserto dos carros da frota, problemas com a manutenção do prédio, entre outras.

Não se esqueça de que em alguns meses seu fluxo de caixa terá de contar com débitos diferenciados, como férias e 13° dos funcionários.

Com essas dicas, ficou mais fácil calcular fluxo de caixa e compreender sua importância? Curta a nossa página no Facebook e receba sempre dicas ótimas como essa!