Você quer aprimorar a atuação online do seu negócio? Se você tem uma PME (Pequena e Média Empresa) que atua por meio de e-commerce, com certeza já percebeu que seus esforços e investimentos em marketing precisam ser muito bem planejados. Afinal, só assim você vai se posicionar de maneira ideal na internet.

De nada adianta disponibilizar seus produtos na rede se você não tem a visibilidade, o alcance e o engajamento do seu público. Da mesma forma que uma loja física, a loja online precisa atrair o cliente de alguma maneira e mantê-lo interessado para convertê-lo em venda.

Está na hora de entender quais são os aspectos importantes do marketing para e-commerce e como eles podem influenciar seus resultados de maneira positiva, para que seu negócio obtenha sucesso. Confira a seguir.

1. A importância do marketing no e-commerce

O primeiro erro com que você precisa tomar cuidado ao pensar na atuação da sua empresa no meio virtual é achar que o e-commerce é apenas mais uma plataforma pela qual você oferece seus produtos.

Tenha em mente que uma loja virtual é um projeto individual, que pode ser influenciado por muitos fatores. E por que pensar dessa maneira? Bom, para começar, a premissa do e-commerce é que ele existe de maneira virtual, e só esse fato já faz que com que tudo que o influencie seja diferente dos aspectos que impactam uma loja física, por exemplo.

Para garantir, então, que seu e-commerce seja funcional e traga resultados para o seu negócio, é preciso traçar uma estratégia bem estruturada. O marketing será uma das principais ferramentas a compor a sua estratégia. Ele é essencial para alavancar as vendas, afinal, por meio dele, você consegue atrair mais visitas para a sua loja virtual, o que gera mais possibilidade de venda.

Entretanto, para que o marketing no e-commerce seja realmente um símbolo de geração de leads e de conversão em vendas, é preciso conhecer tanto as formas tradicionais quanto as novas maneiras de se fazer marketing, que têm surgido e se tornado foco de empresas com real visão de mercado.

Muito tem se falado, por exemplo, sobre inbound marketing. A proposta dessa abordagem é realizar ações de marketing atrativas que façam com que sua marca seja encontrada pelo público no momento em que ele precisa daquilo que a marca tem a oferecer.

A diferença do inbound para o outbound marketing é que, este último consiste no marketing tradicional. O outbound marketing tem um caráter mais invasivo, uma vez que, por meio dele, a marca é que encontra o público, pelo uso dos mais diversos tipos de anúncios interruptivos, como as propagandas que são mostradas antes de vídeos no YouTube.

Mas, apesar disso, não assuma que você deve utilizar apenas uma dessas duas abordagens para construir sua estratégia. Ela deve ser baseada em informações reais sobre o público que você pretende atingir.

O marketing também tem maneiras de desvendar esse tipo de informação sobre o seu público, e é partir desses dados que você vai entender quais são as melhores formas de atrair pessoas para o universo da sua marca.

As ferramentas do marketing são capazes de permitir que você não só defina melhor quem são essas pessoas, mas também mensure quais aspectos e ações da sua estratégia estão sendo realmente efetivos e quais precisam ser aprimorados.

A partir disso, você é capaz de oferecer uma experiência cada vez melhor para o seu público e criar cada vez mais engajamento com ele, o que pode ser muito positivo para a reputação da sua marca.

Já deu para entender que o marketing é alma do negócio, certo? No tópico a seguir, vamos discutir o que você deve considerar antes de elaborar uma estratégia de marketing.

2. Os segredos para uma boa estratégia de marketing

Alinhar seu branding

O branding nada mais é do que a construção do conceito da sua marca. Garanta que o DNA dela esteja bem determinado, para que essa personalidade seja claramente percebida pelos clientes, criando uma identificação natural.

Conhecer o mercado do qual faz parte

Toda estratégia de marketing precisa levar em conta o ambiente e o contexto em que o negócio está inserido. Faça pesquisas de mercado para destacar as tendências e especificidades mais atuais.

Compreender o segmento que pretende atingir

Conheça seu consumidor. Faça questionários e ações que te permitam saber quem são essas pessoas, onde se encontram, como é seu dia a dia, quais problemas delas sua marca é capaz de solucionar, quais critérios elas valorizam, etc.

Saber quem é sua concorrência

Procure concorrentes de nível direto e marcas entrantes no seu mercado. Busque saber quais são seus métodos, abordagens e inovações, aprenda com os erros deles, descubra aspectos que podem ser aprimorados.

Transmitir confiabilidade

No caso das lojas online, uma boa estratégia de marketing precisa de um site que transmita segurança. Isso inclui a estética e a funcionalidade da plataforma. É importante que ele tenha um layout limpo, otimizado, intuitivo e responsivo. Todas os aspectos de design e todas as imagens devem ser de alta qualidade. Garanta também que o serviço de transação comercial seja de alta confiança.

Fazer com que sua marca seja presente

Tenha um perfil nas mídias sociais em que seu público costuma ser mais ativo. Atente também para detalhes como colocar as informações da sua marca no Google Maps. Você precisa permitir ser encontrado com facilidade.

Dar unidade às mídias da marca

Site, mídias sociais, assinaturas de e-mail e todos os aspectos visuais da marcam precisam estar alinhados para que ela passe a mesma linguagem em todos os canais. Essa unidade auxilia no processo de identificação do público com a marca.

Planejar e orçar com responsabilidade

Sem planejamento, você não terá como mensurar os resultados de suas ações e descobrir no que é necessário aprimorar. Nunca negligencie o controle dessa documentação. Ao orçar projetos, avalie se é melhor estipular um valor fixo ou vincular a um percentual de vendas, por exemplo.

Garantir qualidade de atendimento

Lembre-se de que, se o seu cliente está comprando online, o contato com ele é completamente virtual, então esse atendimento precisa deixá-lo satisfeito e sentindo-se seguro. Garanta que o responsável por esse contato seja capacitado para isso. Isso vale principalmente para o pós-venda, que também não deve ser negligenciado. Uma boa atuação pode fidelizar clientes e gerar mais marketing boca a boca.

3. As melhores práticas de marketing para e-commerce

Depois de se preparar para construir e aplicar sua estratégia, você tem que se atentar para as boas práticas de marketing, que vão garantir que o planejamento seja executado da melhor maneira possível. Veja a seguir, nossas dicas exclusivas para lojas virtuais.

Produzir conteúdo

O marketing digital já faz parte de muitas empresas, e o marketing de conteúdo — que é um tipo de estratégia que tem íntima relação com inbound marketing — tem sido uma das maneiras mais eficientes de aprimorar um negócio com presença online.

Apesar de ainda existirem profissionais que não dão credibilidade ao conteúdo escrito, uma estratégia de marketing de conteúdo bem traçada permite que você atraia seu público organicamente, apenas por meio de informações relevantes e com o auxílio de divulgação.

Mas, se você parar para pensar, o seu canal de vendas sendo a internet, produzir conteúdo não parece indispensável? Conhecimento vende! As pessoas estão cada vez mais deixando de procurar somente o melhor preço. Elas querem tomar decisões e realizar compras, estando bem informadas.

Se essas pessoas estão tão ávidas por informações de qualidade, aí se encontra uma oportunidade de ouro para o seu negócio. Sua marca deve fornecer conteúdos relevantes e auxiliar essas pessoas no processo de compra do seus produtos.

Sabe por que isso é tão importante? Por meio de conteúdo relevante, educativo e informativo, você pode legitimar a autoridade da sua marca no seu campo de atuação. Explicaremos adiante como funciona a estratégia de marketing de conteúdo e como esse conteúdo pode provocar essa validação.

Funil de vendas

Muitas vezes, as pessoas ainda nem identificaram um problema que pode ser resolvido, por exemplo, por um serviço ou produto que sua empresa oferece. Seguindo por essa lógica, a estratégia de marketing de conteúdo prevê três estágios no processo de compra de uma pessoa.

Veja a seguir quais são essas etapas e exemplos de como sua marca pode atuar em cada uma delas:

  1. Atração: a pessoa está identificando sintomas de um problema que precisa resolver ou de uma oportunidade que pode aproveitar. Forneça conteúdo que possa tirar possíveis dúvidas dessa pessoa e auxiliá-la a identificar essa necessidade;

  2. Consideração: o indivíduo determinou o problema ou oportunidade com que precisa lidar e está comprometido a agir. Forneça conteúdos mais ricos que deem exemplos de soluções;

  3. Decisão: o sujeito já sabe como quer resolver seu problema ou lidar com a oportunidade e está buscando o fornecedor, serviço ou produto que vai contratar ou adquirir. Ofereça conteúdos específicos, que apresentem como o seu produto ou serviço seria ideal.

Essas três etapas podem ser vistas como um funil, que, no âmbito do marketing de conteúdo, é chamado de funil de vendas.

O funil de vendas é uma das primeiras coisas que se deve levar em consideração ao produzir conteúdo. É preciso desenvolver de acordo com a quantidade e profundidade de informações que cada etapa do funil requer.

Outra questão que você deve observar, é que apenas uma fração das pessoas que visitam seu site realmente se torna cliente. E por esse motivo que é tão importante atrair pessoas com interesses semelhantes aos abordados pela sua marca. É filtrando esses visitantes que você vai atingir os clientes ideais.

Já deu para perceber que, na hora de pensar conteúdos para o seu site, você vai precisar considerar até mesmo as pessoas que não se tornam clientes.

Persona

Uma ferramenta importante que faz com que a marca disponibilize conteúdos para todos os tipos de perfis que visitam seu site são as personas. Elas são representações semifictícias do seu cliente ideal, baseadas em dados reais.

Identificando a persona para quem o conteúdo está sendo produzido e sabendo em qual estágio do funil ela se encontra, fica muito mais fácil desenvolver um conteúdo relevante. Esta é a chave do marketing de conteúdo: apresentar informações valiosas para as pessoas certas no momento em que eles precisam!

Calendário editorial

Uma boa maneira de organizar a produção de conteúdo é fazer um calendário editorial. Nesse documento, você deve estipular um período de tempo e determinar quem produzirá cada conteúdo levando em conta a persona e o estágio do funil em que ela se encontra.

Assim, você garante que não abarrotará seu site e suas mídias com informações aleatórias. Além disso, o calendário editorial faz com que cada publicação faça parte de um todo, no caso, de uma estratégia bem formulada.

É a partir disso que você consegue se destacar no meio digital, conseguir leads valiosos, conversão em vendas e, principalmente, fomentar a autoridade da sua marca.

SEO

Para que a produção de conteúdo seja ainda mais completa vale a pena investir também em SEO (Search Engine Optimization ou Otimização para Mecanismos de Busca). Uma das ferramentas do SEO é a utilização de palavras-chave atrativas para o seu público.

Outra ferramenta essencial é o link building. Essa técnica consiste em linkar outras publicações, tanto internas quanto externas, nos conteúdos escritos do seu blog ou site. Com o uso dessas técnicas, seu conteúdo tem chances maiores de rankear mais acima em mecanismos de busca.

Usufruir das redes sociais

Apesar de o marketing de conteúdo ser bastante focado em produção de conteúdo escrito, existem outros tipos de conteúdo que são muito viáveis para serem aproveitados em redes sociais.

A questão importante do marketing nas redes sociais é saber utilizar cada forma de apresentação de conteúdo de acordo com suas particularidades:

  • Facebook: permite a criação de uma fan page com informações completas sobre localização, contato e história da marca. Permite conteúdo mais informal e visual, bem como compartilhamento de conteúdo e citação de personalidades e instituições importantes para a marca. Permite que sejam feitas enquetes e possibilita alto engajamento com público;

  • YouTube: é uma rede social cujo conteúdo são vídeos. Permite fácil visualização, humaniza a mensagem da marca, gera reputação e não exige complexidade na produção de conteúdo de qualidade;

  • Instagram: é um canal interessante para gerar engajamento. Pode ser utilizado para publicação de fotos, infográficos e até mesmo memes, de acordo com a persona visada na estratégia;

  • Twitter: é uma rede social mais unilateral de distribuição de informações. Requer pouco esforço de atualização, permite menos formalidade, disponibilização de enquetes, compartilhamento de conteúdo e menção de figuras interessantes para a marca.

Lembre-se também de que é indispensável utilizar as redes sociais para alavancar os conteúdos escritos publicados no site ou blog da empresa. Divulgue sempre que for pertinente.

Criar uma reputação

E é aqui que entra a importância de ter uma equipe preparada para gerenciar as mídias da sua marca. Elas são a oportunidade que a marca tem de dialogar e responder pessoas de maneira bastante direta.

A equipe precisa buscar incentivar interações e, se necessário, ignorar possíveis ofensas ou comentários inconvenientes. A maneira como a marca lida com essa relação é o que constrói sua reputação.

As mídias também devem ser aproveitadas para criar um relacionamento com influenciadores de opinião que façam parte do universo das personas. É interessante enviar releases, brindes e convites de eventos para essas pessoas. Você pode até mesmo fechar parcerias com essas figuras, se houver abertura.

Tudo isso faz com que o público confie cada vez mais na marca, e o valor da sua loja virtual vai ficando cada vez mais em evidência. É a partir dessas atitudes que uma marca pode chegar a criar uma comunidade. Nada como ganhar a confiança de um cliente a ponto de fazê-lo se tornar um evangelizador da proposta da sua marca, certo?

Buscar inovação

Marketing digital precisa ser movido por inovação. A internet é um meio de comunicação que não tem limite de conteúdo. O mundo inteiro compartilha informações a todo momento no mundo virtual, e pensar fora da caixa é uma das coisas que vão fazer com que sua marca se destaque.

Busque ações diversificadas que envolvam atuações tanto online quanto offline. Em maio de 2016, por exemplo, a revista Elle Brasil completou 27 anos e, para comemorar, lançou uma revista com uma capa espelhada. Desta forma, quem adquirisse a revista via o próprio rosto refletido na capa. A capa passava a mensagem de que o público é quem estava na capa daquela edição comemorativa, sendo celebrado.

A revista incentivou que as pessoas publicassem uma foto com a revista utilizando a hashtag #vocênacapa, e a ação foi um sucesso, sendo uma ótima maneira de integrar abordagens e provocar engajamento e visibilidade para a revista.

Se você pretende focar o meio online, saia um pouco do simples patrocínio de conteúdo oferecido por mídias como o Facebook, por exemplo. Vale a pena buscar inspiração em inovações digitais como gameficação, visões 3D, loyalty badges e display advertising.

4. A importância das embalagens para e-commerce

Um dos aspectos mais importantes da compra online é que a sua marca precisa aproveitar os poucos pontos tangíveis que podem ser oferecidos para o consumidor. Sendo assim, embalagens para e-commerce devem ser pensadas com cuidado.

A função da embalagem está longe de ser apenas fazer com que o produto chegue intacto às mãos do consumidor. Não investir em embalagens no e-commerce é perder uma oportunidade de se conectar com seu cliente.

Comprar pela internet é muito mais fácil e cômodo para o consumidor, mas isso faz com que o cliente fique com aquele sentimento de expectativa e ansiedade para a chegada do produto. Investir em embalagem é uma maneira de cumprir essa expectativa, deixar o cliente satisfeito, fidelizar e fazer com que ele propague a marca para conhecidos.

Existem muitos influenciadores de opinião que divulgam unboxing de produtos em redes sociais como YouTube e Instagram. Esse processo consiste em desembalar produtos tendo os seguidores como “plateia” e ajuda a dar mais visibilidade para a marca, principalmente quando a embalagem é bem-feita.

Uma maneira de fazer com que esse processo de unboxing seja uma experiência diferenciada para um cliente é, por exemplo, efetuar outras ações de marketing mais diretas dentro da embalagem. É uma oportunidade para enviar brindes, folders, cartões, revistas, cupons de desconto e semelhantes.

É bom você também ter em mente que a embalagem, na maioria das vezes, vai ser a única representação física da loja e que, se for muito chamativa, pode aumentar o risco de extravio. É interessante, então, equilibrar o design por fora da embalagem, para que ele personalize o produto sem chamar tanta atenção.

 

 

Neste post, você pôde conferir os principais aspectos que fazem com que o marketing seja importante para o e-commerce. Aprendeu sobre os aspectos necessários para preparar uma estratégia de marketing com uma base sólida e também viu as melhores práticas que vão fazer com que sua estratégia seja executada com sucesso.

Por fim, colocamos em evidência o fato de que embalagens para e-commerce precisam ser pensadas tanto nos aspectos práticos quanto nos abstratos, que podem render notoriedade para uma marca. 

Agora que você já conhece todos esses pontos importantes do marketing para e-commerce, conte nos comentários se este post foi útil para você ou compartilhe suas dúvidas!