A embalagem é um item muito poderoso para o seu produto, já que ela passa uma das primeiras impressões para o cliente. Mais do que isso, ela também precisa ser funcional e ajudar a garantir que o produto chegue intacto às mãos de quem compra.

Sendo assim, fazer uma seleção do material correto é indispensável, já que isso influencia os resultados e até mesmo os custos. Mas diante de tantas opções, como escolher a mais adequada?

A seguir, veja como definir corretamente o melhor material para embalagem para o seu negócio:

1. Pense no transporte dos produtos

Mesmo que o seu negócio não faça entrega para clientes que estejam à distância, como lojas que vendem também virtualmente, é importante pensar no transporte que será dado aos produtos. Ainda que não seja em um caminhão de frete, o transporte vai acontecer por parte dos clientes.

Com isso, é preciso considerar questões como o peso final e a segurança para que o cliente consiga carregar. Uma embalagem de material muito fino, por exemplo, pode deixar o cliente na mão na hora de levar o produto para casa. Por outro lado, uma embalagem muito robusta é mais pesada e mais incômoda.

Se for necessário transportar os produtos do estoque para o ponto de vendas, ainda que ele fique na própria loja, também é importante pensar na facilidade de manuseio.

2. Leve em consideração o custo

A embalagem é uma forma de proteger o produto e garantir a sua integridade, mas, geralmente, ela não agrega um grande valor ao produto. Isso significa que se você escolher um material muito caro, uma das seguintes coisas vai acontecer: sua margem de lucro vai diminuir consideravelmente ou o valor do produto vai aumentar muito.

Nesse último caso, não haverá um ganho real em valor agregado, o que vai fazer com que o seu produto perca competitividade.

Ao mesmo tempo, investir em uma boa embalagem pode gerar um diferencial ou mesmo uma experiência mais positiva. Assim, é importante garantir que o material seja de qualidade, ao mesmo tempo, que ele tenha a ver com os custos de venda dos itens.

3. Avalie o uso do produto

Outra questão é avaliar qual será o uso do produto. Se a embalagem não influencia o uso do produto em si, como é o caso das roupas, uma sacola de papel normalmente é suficiente para garantir que a compra chegue do jeito certo à casa do cliente.

Por outro lado, não faz muito sentido apostar em uma embalagem de acrílico, a menos que o produto tenha uma característica premium ou especial. Dessa forma, é importante garantir que haja coerência entre o produto vendido e a embalagem, de modo que a embalagem não fique nem muito acima e nem muito abaixo do uso pretendido.

4. Não se esqueça da atratividade para os clientes

Não dá para negar que a embalagem é, também, uma forma de atrair os clientes. Ter uma embalagem bonita e personalizada, por exemplo, faz com que a sua marca fique mais em exposição conforme o cliente carrega o produto comprado.

Além disso, uma embalagem com qualidade perceptível chama a atenção e, muitas vezes, ajuda a conquistar o cliente. Ao mesmo tempo, uma embalagem sustentavelmente responsável é outra coisa que conta pontos a favor.

Diante disso tudo, uma embalagem de papel, por exemplo, normalmente é mais indicada para muitos casos, garantindo o máximo de retorno para o negócio.

Ao levar em consideração essas orientações, o processo de escolher o material para embalagem vai ficar mais fácil e, principalmente, mais assertivo.

Com essas informações, qual é o melhor material para o seu negócio? Ainda tem dúvidas? Comente!