Calcular e controlar algumas métricas financeiras é fundamental para empreendedores e gestores que desejam fazer sua empresa crescer. Ainda é bastante comum depararmos com empresários de PMEs que se envolvem muito com as operações do empreendimento, atendendo clientes e realizando as operações de rotina.

Não há nada de errado em realizar essas atividades, desde que você separe um tempo para tratar da gestão da empresa, averiguando as estratégias e acompanhando seus principais indicadores, a fim de garantir que tudo esteja conforme o planejado.

Neste post, você vai conhecer quais indicadores seguir para realizar uma boa gestão financeira. Boa leitura!

Métricas financeiras

Métricas financeiras nada mais são do que resultados obtidos a partir de dados financeiros do empreendimento e usados como parâmetros para descobrir como anda a saúde monetária do negócio.

Por incrível que pareça, não gerir adequadamente as métricas financeiras é um deslize muito comum cometido por diversos gestores. Isso ocorre por falta de conhecimento sobre esses indicadores, fazendo com que a empresa controle somente os dados instantâneos.

Um exemplo prático disso é quando um empreendedor analisa os resultados embasando-se apenas no fluxo de caixa. Se esse tipo de avaliação for feita de maneira isolada, faltará informações para verificar a saúde financeira em longo prazo. A ausência de dados sobre custos, rentabilidade e faturamento bruto, por exemplo, podem impossibilitar a identificação de desvios e tendências do seu segmento de mercado, prejudicando o futuro do empreendimento.

Principais métricas financeiras

Existem muitos indicadores financeiros que podem ser usados. A seguir você vai conhecer os mais utilizados por PMEs. Confira!

Faturamento bruto

Essa é uma das métricas mais utilizadas pelas pequenas e médias empresas. Basicamente, ela aponta quanto de capital vai entrar no caixa por meio das suas fontes de receita e vendas.

Geralmente esse indicador afeta diretamente as estratégias de marketing e vendas do negócio, que possui suas metas definidas graças ao faturamento gerado. Quando o resultado está abaixo do esperado, é hora de revisar as estratégias de mercado e procurar novos clientes.

Para calcular o faturamento bruto, basta somar todo o faturamento do período a ser analisado.

Margem de Contribuição

A margem de contribuição é pouco utilizada pelas empresas. Ela aponta o quanto as vendas feitas contribuíram para quitar os custos fixos do negócio.

Esse indicador pode ser calculado individualmente ou com uma avaliação geral de todas as transações, sendo também essencial para a precificação final de produtos.

Margem de contribuição = RECEITA – CUSTO VARIÁVEL

Ponto de Equilíbrio

Com o ponto de equilíbrio é possível saber quanto de receita a empresa precisa gerar para cobrir todos os seus custos e não sofrer prejuízo. Para calculá-lo é preciso conhecer a margem de contribuição.

Ponto de Equilíbrio = (CUSTO FIXO / (RECEITA – CUSTO VARIÁVEL)) x 100

Rentabilidade

A rentabilidade financeira mostra o quanto a empresa está sendo rentável para o proprietário ou grupo de sócios. Seu valor é obtido com a divisão do resultado líquido do negócio pelo total do ativo.

Rentabilidade = LUCRO LÍQUIDO / INVESTIMENTO TOTAL x 100

O resultado desse indicador pode mostrar se o capital investido no empreendimento está tendo o retorno previsto ou se outra forma de investimento poderia trazer um resultado mais significativo.

Retorno sobre investimento (ROI)

O ROI mensura a relação entre o lucro gerado e o investimento feito. Algumas empresas o utilizam somente para operações específicas, normalmente de marketing, mas também pode ser útil para avaliar o negócio de uma maneira geral.

Custos totais devem incluir pagamento de funcionários, gastos administrativos, marketing e despesas operacionais. Em seguida isso deve ser relacionado com o lucro gerado.

O retorno sobre o investimento precisa ser analisado constantemente. Cada aspecto deve ser considerado para saber o quanto está sendo investido para o crescimento geral da marca.

ROI = (LUCRO DO INVESTIMENTO – CUSTO DO INVESTIMENTO) / CUSTO DO INVESTIMENTO

Custo de Aquisição de Clientes (CAC)

Quanto você gasta para efetuar uma venda? O Custo de Aquisição de Clientes é essencial para tomar decisões referentes ao aumento ou redução de verbas para campanhas de marketing, por exemplo. Ele também é importante para apontar se você está investindo em ações que geram pouco retorno.

O CAC geralmente é calculado ao levantar tudo que foi gasto em esforço e o número de novos clientes conquistados. Lembre-se de que se o resultado for muito alto, seu lucro certamente está se reduzindo, o que não seria nada bom.

CAC = DESPESAS + INVESTIMENTOS EM MARKETING E VENDAS / NÚMERO DE NOVOS CLIENTES EM UM PERÍODO

LTV (Lifetime Value ou tempo de vida do cliente)

O Lifetime Value mensura o valor de um cliente para a empresa durante o relacionamento com o negócio. Esse dado, unido ao CAC, ajuda a descobrir o quanto você pode investir com os novos consumidores em suas estratégias de aperfeiçoamento e marketing.

Para obter o LTV, é necessário encontrar três variáveis:

  1. Tempo de Vida (TV): mostra a média do tempo de utilização/consumo dos produtos da loja por um cliente.

  2. Ticket Médio (TM): determina os gastos de um cliente por compra. Para consegui-lo basta somar a receita bruta de determinado período e dividir pelo número de vendas efetuadas no mesmo período.

  3. Quantidade Média de Vendas por Cliente (QMVC): aponta quantas compras um consumidor realizou em determinado período. Para ter seu resultado é só dividir a quantia total de vendas pelo número de clientes.

LTV = QMVC x TM x TV

Controle das métricas financeiras

Somente conhecer esses números financeiros não é o bastante se você não tiver condições de acompanhá-los. Negócios que possuem um software de gestão empresarial especializado, como um ERP, podem colher os dados e gerar suas métricas no próprio programa.

Caso a empresa não tenha todas as informações organizadas, deve começar o quanto antes a acompanhar esses indicadores, seja com o uso de um sistema de gestão, seja com planilhas de Excel. Examinar os indicadores financeiros é imprescindível para garantir um gerenciamento eficiente e criar um negócio sustentável.

Esperamos que após ter lido esse post você consiga definir quais métricas financeiras seguir para fazer uma boa administração da sua empresa. Aproveite a oportunidade e compartilhe esse conteúdo nas suas redes sociais para que os seus colegas também conheçam um pouco mais sobre o assunto. Até a próxima!