O plano de negócios é o documento que reúne todas as informações importantes da empresa e auxilia o gestor na definição de estratégias e tomada de decisões, apontando quais são as metas de curto, médio e longo prazos. 

Para elaborar esse documento é necessário muito cuidado, minúcia e atentar para cada informação que é incluída, já que é esse plano que irá conduzir o rumo do negócio e auxiliar em seu sucesso. Confira a seguir algumas dicas de como elaborar um plano de negócios, quando revisá-lo e como ele pode ajudar a alavancar as suas vendas! 

O que é o plano de negócios, afinal?

O plano de negócios é utilizado para auxiliar no planejamento de um negócio — que pode tanto estar iniciando suas atividades, quanto já atuar no mercado — e tem como objetivo definir quais serão as estratégias de atuação de acordo com os objetivos traçados. Nele, são expostas as ações que são necessárias para alcançar essas metas, deixando bem claro qual é o planejamento para curto, médio e longo prazos.

Assim, o gestor consegue ter uma visão bem detalhada de onde está, onde quer chegar, o que precisa ser feito e como está evoluindo esse desenvolvimento em busca dos objetivos.

Como ele pode ser elaborado?

Para criar um plano de negócios é necessário seguir alguns parâmetros e levar em consideração algumas informações importantes. Saiba mais:

Informações sobre o  negócio

A princípio deve-se informar quais são os pontos principais do negócio: o que faz, quem são os sócios, quais atribuições cada um deles possui, o que será comercializado (detalhando produtos e/ou serviços), qual é o público-alvo, qual a localização da empresa, o valor do capital que foi empregado, previsão de faturamento, meta de lucro, tempo de retorno do capital investido, etc.

Nessa etapa todas as informações relevantes a respeito do negócio devem ser informadas, deixando tudo bem especificado.

Apresentação da empresa

Enquanto na primeira parte informa-se os dados do negócio, nessa etapa são incluídos os dados da empresa. Isso quer dizer informar a razão social, o número do CNPJ, a área de atuação, o tipo de sociedade (ou se é empresa individual), qual será o regime tributário, o valor do capital social e qual a participação de cada sócio nesse valor. 

São as mesmas informações que possuem no Contrato Social ou no documento de Empreendedor Individual.

Detalhamento dos produtos ou serviços

Nessa etapa é o momento de descrever quais serão os produtos ou serviços comercializados. Independentemente do que será oferecido aos clientes, é importante detalhar bem as características de cada um deles, bem como as garantias que são oferecidas.

Estudo sobre os potenciais clientes

É necessário conhecer os clientes e identificar suas características para diferenciar quais são as estratégias mais eficazes para alcançar essas pessoas e trazê-las para seu negócio. Isso quer dizer identificar a faixa etária, o gênero, média de renda mensal, nível de escolaridade, localização, dentre outras informações.

Com esses dados é possível criar ações de marketing e divulgação que serão muito mais eficazes e chegarão até o seu público-alvo de forma bem mais assertiva, chamando a atenção para sua empresa e o que você oferece.

Estudo sobre a concorrência

Assim como é importante identificar seus clientes, também é de muita relevância estudar seus concorrentes, conhecer seus pontos fracos, os principais motivos de reclamações de seus clientes e quais são seus pontos fortes, os principais acertos que fazem reter os consumidores.

Esse método de avaliação já ajuda muito a identificar melhorias e aprender lições que serão muito valiosas para o negócio, principalmente no que diz respeito a oferecer o que os concorrentes não conseguem.

Estudo sobre os fornecedores

Também é de muita importância estudar quais serão os fornecedores em potencial, analisando a qualidade, preços, condições de fornecimento e pagamento. Detalhar esse tipo de informação no momento da negociação ajuda a compreender quais deles serão melhores parceiros e possuem uma visão mais parecida com seu modelo de negócios.

Formas de comercialização

Nessa etapa se definem os canais por meio dos quais os clientes terão acesso aos produtos ou serviços. Entre eles, pode-se escolher: loja física, representantes, loja online, call center, entre outros. Vale lembrar que a sua empresa pode ser multicanal, caso seja possível oferecer o suporte adequado aos clientes em cada um deles.

Operacionalização do negócio

Nesse momento é avaliada a melhor localização para a empresa — de preferência mais próxima dos clientes — qual seria o layout mais adequado para distribuir os produtos, como será o processo produtivo e/ou de comercialização, qual é a capacidade produtiva, entre outras informações relevantes para manter o negócio funcionando.

Planejamento financeiro

Nesta etapa são informados os recursos que foram investidos na empresa para que ela possa iniciar suas atividades. Dentre esses recursos, deve-se citar a quantidade de máquinas, equipamentos, móveis, capital de giro, taxas de abertura, reforma do imóvel, investimentos e tudo mais.

Também deve-se apontar qual é a previsão de faturamento, estimativa de custos — com matéria-prima, compra de materiais, comercialização, operacionalização do negócio, depreciação, etc. — estimativa de gastos, entre várias outras informações financeiras que são relevantes para o  acompanhamento do desempenho do negócio. Com isso é possível estimar o desempenho da empresa e usar essa informação para comparar com os resultados reais que serão apresentados.

E quando ele deve ser atualizado?

Alterações de mercado

Sempre que houver mudanças no mercado, como entrada de novos concorrentes, alterações na economia, entre outras.

Mudança nas premissas

Toda vez que alguma premissa importante for alterada como, por exemplo, os objetivos e as estimativas — ou seja, aquilo que foi tomado como verdadeiro ao elaborar o plano de negócios.

Novos investidores

Se o negócio possui necessidade de captar novos investidores ou precisa atrair os primeiros, o plano de negócios deve ser alterado e deve-se acrescentar essa informação.

Semestralmente

Ainda que nenhum dos fatores citados acima ocorram, é importante revisar o plano de negócios a cada seis meses e identificar se a realidade do negócio condiz com o que foi planejado inicialmente. Caso haja alguma discrepância, o plano deve ser revisado.

Com todas essas informações, é possível identificar quais ações devem ser tomadas para alcançar as metas e se o planejamento atual faz com que o negócio seja viável — ou não. Além disso, é por meio do plano de negócios que se consegue traçar uma estratégia que conduzirá as atividades de forma a alcançar os objetivos.

Agora, leitor, que você já sabe como elaborar um plano de negócios, utilize os comentários e nos conte: percebeu como esse documento pode auxiliar a alavancar as vendas? Restou alguma dúvida sobre o tema? Não deixe de compartilhar suas questões e opiniões conosco!