Quem nunca pensou seriamente em deixar de consumir uma marca por causa da embalagem? Sim, isso pode ser um motivo razoável para que o consumidor desista do seu produto para adotar outro que ofereça melhores condições de manuseio.

Ao desenvolver uma embalagem, todos os detalhes devem ser rigorosamente observados. A aparência é, sem dúvida, um cartão de visita e precisa causar uma boa primeira impressão, porém, essa etapa é passageira.

As questões técnicas e práticas serão responsáveis pela decisão do público de continuar consumindo o seu produto. Por isso, fique atento aos 7 erros que você não pode cometer no projeto de suas embalagens. Confira!

1. Não transmitir o conceito do produto

A importância da comunicação visual da embalagem é inegável. Uma boa estratégia de apresentação nos pontos de venda alinhada ao conceito da marca são requisitos indispensáveis.

Sabemos que a função de proteger o produto foi a primeira preocupação considerada quando as embalagens começaram a ser fabricadas. No entanto, com o tempo, as coisas tendem a ganhar sofisticação, e os inúmeros produtos semelhantes no mercado passaram a exigir diferenciais para chamarem a atenção do mesmo público.

Sendo assim, as embalagens precisam se destacar com suas particularidades. A melhor maneira de brilhar entre seus concorrentes é transmitindo o conceito da sua marca da forma mais criativa e atrativa possível.

Saber embutir a personalidade da sua empresa na embalagem usando as técnicas de design adequadas é o ponto de partida. Essa é a chave para promover um bom posicionamento do seu empreendimento no mercado, gerando as melhores oportunidades de negócio.

2. Adicionar informações erradas

Tão relevante quanto o conceito empregado na comunicação visual da embalagem são os cuidados com as informações contidas nos rótulos. O consumidor precisa ser devidamente esclarecido com dados essenciais como data de validade correta, peso, quantidade, ingredientes e determinadas restrições de consumo relacionadas a alergias, por exemplo.

Imagine a quantidade de problemas jurídicos e perdas financeiras  além do prestígio abalado  caso a data de validade seja impressa errada! Isso pode levar o consumidor a acreditar que dispõe de um prazo maior do que o verdadeiro, gerando transtornos.

Existe, ainda, a relação de ingredientes causadores de intolerâncias, como glúten e lactose em determinados alimentos, ou substâncias que causam alergias de pele ou respiratórias em artigos de higiene e limpeza.

São questões de extrema importância, que necessitam de cuidado redobrado. Tais erros podem ocorrer durante o processo de criação, revisão ou impressão. Por isso, esse trabalho exige a expertise de profissionais capacitados e atentos na elaboração dos textos.

É necessário também saber posicionar essas informações corretamente em locais estratégicos e de fácil acesso para quem está examinando o produto antes de comprá-lo.

3.  Ignorar normas e legislação

A atenção com as informações básicas deve estar acompanhada do respeito às normas e legislação pertinentes à veiculação das embalagens no mercado. É importante evitar dados falsos e identificar a empresa correta e detalhadamente.

Cada embalagem deve conter o código de barras adequado, bem como as certificações (selos) conforme o tipo de conteúdo, como alimentos de origem animal, vegana, vegetariana ou outros atributos especiais, lembrando sempre da idoneidade — essa é uma das mais importantes virtudes de uma marca.

O não cumprimento das normas e padrões pode levar sua empresa não só à perda da credibilidade no mercado, mas também ao acúmulo de prejuízos com o pagamento de multas e indenizações judiciais.

4. Falhar no controle de qualidade

Erros durante a produção são comuns e corriqueiros em qualquer empresa, seja qual for o procedimento adotado. Na indústria, por exemplo, o processo de embalagem é realizado de forma automatizada, em linhas de produção.

Nesse caso, podem ocorrer erros em algumas etapas. Equipamentos podem falhar e algumas embalagens podem ficar vulneráveis, sem a devida vedação, e algumas até mesmo sem o produto em seu interior. Esses são alguns dos problemas que acontecem com mais frequência.

Por essa razão, o controle de qualidade é fundamental. Os profissionais responsáveis por essa tarefa devem ser habilitados especificamente para esse fim. A conferência da qualidade e excelência dos produtos precisa ser feitas rigorosamente. Lembre-se de que, no meio de milhares de produtos, apenas um com defeito pode comprometer a imagem da sua marca.

5. Negligenciar as pesquisas de mercado

Sua embalagem reflete a imagem da sua marca e dialoga perfeitamente com o conteúdo oferecido. A mensagem, aparentemente, está em sintonia com o conteúdo, porém, é preciso considerar outros fatores.

A permanência forte de um produto na preferência dos consumidores costuma ser muito afetada pelas tendências que surgem de tempos em tempos. Isso também está sujeito ao setor no qual sua empresa se encaixa. Considerando tudo isso, suas embalagens devem seguir tais tendências.

Um exemplo muito explorado na atualidade é a sustentabilidade. Essa tendência é fortíssima não apenas por modismo, mas por necessidade. No entanto, é imprescindível levar esse fator especialmente em consideração se a sua imagem apresenta todo um conceito ecológico. Nesse sentido, a pesquisa de mercado deve ser totalmente direcionada para isso.

O mesmo cuidado é exigido caso seu produto apresente características de luxo. Você precisará se voltar para esse público e refletir a sua marca de acordo com esse conceito.

Levar em conta o que os concorrentes estão fazendo também faz parte da pesquisa de mercado. Dessa maneira, é possível aproveitar as mesmas oportunidades e se posicionar lado a lado com a concorrência. Assim, sua marca melhora as chances de conversão em vendas e alcance de sucesso nos resultados.

6. Desconsiderar a funcionalidade

O quesito funcionalidade envolve uma variedade de critérios conjugados. Uma embalagem funcional precisa ser fácil de abrir enquanto protege o conteúdo com o máximo de segurança. Deve ocupar o menor espaço possível nos locais de venda, bem como durante o transporte até o PDV.

Os materiais eleitos para a produção das embalagens também influenciam muito nos critérios acima citados e no orçamento. Por exemplo, materiais leves e resistentes como a alumínio são perfeitos para acondicionar bebidas.

Todos esses preceitos são essenciais para o melhor uso do produto como um todo. Negligenciar essas questões pode fazer sua empresa perder em eficiência logística e desperdiçar recursos.

7. Não investir em inovações

A tecnologia está constantemente lançando novas possibilidades para tudo o que consumimos. As embalagens são itens extremamente ricos para esse tipo de exploração.

Designers e engenheiros estão sempre desenvolvendo novos materiais ou novas formas de uso para materiais já testados. Um exemplo já muito conhecido, mas que revolucionou o mercado de embalagens é a Tetra Pak, que reúne características de versatilidade e sustentabilidade por serem totalmente recicláveis.

Além de proporcionarem maior destaque nos pontos de venda, as inovações tendem a promover um uso mais racional das embalagens, levando qualidade de vida para toda a sociedade. Conseguir comunicar essas ideias para o público aumenta enormemente as chances de ganhar um espaço cativo na sua preferência.

Estar atento a todos os detalhes, evitando erros desnecessários, é fundamental para desenvolver uma embalagem atrativa, funcional, criativa e inovadora. Manter-se competitivo no mercado exige um esforço permanente e vigilante.

O que você considera mais importante em uma embalagem? Compartilhe nas suas redes sociais e descubra a opinião dos seus amigos!