O setor de alimentos sempre atraiu a atenção de investidores, pois quem quer empreender sabe que esse ramo pode ser uma fonte de renda bastante lucrativa.

E, entre todas as possibilidades desse mercado, o comércio de chocolates tem destaque. Por isso, abrir seu negócio para a venda de bombons pode ser uma excelente opção.

Obviamente, é preciso conhecer alguns detalhes do mercado e planejar todas as etapas de construção da empresa para ter uma vida longa e saudável.

Ficou interessado no assunto? Então continue lendo este post. Criamos um guia para orientar a abertura e gestão do seu negócio. Acompanhe:

A criação da marca

Para abrir um negócio de venda de bombons, ou qualquer outro, você precisa criar uma marca. Essa etapa vai muito além de escolher um nome e de desenhar um logo: é uma fase de planejamento que deve ser levada muito a sério. Afinal, é na criação da marca que você vai definir características importantes do seu negócio, que vão direcionar o futuro da empresa.

Alguns passos básicos podem ajudar a ter sucesso nessa tarefa. São eles:

Realizar pesquisa de mercado

O 1º ponto é realizar uma pesquisa de mercado. É essencial que você conheça todas as peculiaridades do setor antes de abrir um negócio.

Você pode contar com a ajuda de alguns órgãos nesse momento. O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), por exemplo, tem uma série de cursos, materiais informativos e serviços de atendimento para orientação de empreendedores. Eles também possuem algumas pesquisas que podem ser consultadas.

Mas nada disso exclui a necessidade de uma boa pesquisa de campo feita por você e pela sua equipe. Visite concorrentes e fornecedores e converse com as pessoas. Anote todas as informações, mesmo as que não pareçam muito relevantes.

Analise o mercado local e nacional, e não se esqueça de que o e-commerce ganha cada vez mais destaque, podendo ser uma boa alternativa para o seu negócio.

Identificar o público-alvo

Com as pesquisas e o levantamento de dados realizados, você terá uma base sólida para identificar o seu público-alvo. É importante, ao abrir uma empresa, ter em mente um determinado segmento a atingir.

Que tipo de pessoa vai comprar os produtos? Qual é a sua renda média? E a idade? Que tipo de pruduto ela mais consome? E em quais ocasiões?

A segmentação de mercado é interessante para que você consiga construir estratégias de negócio mais eficientes. Para isso, nada como conhecer o público e delimitar uma parte dele como o seu principal “alvo”.

Conceituar a marca

Agora que você já sabe para quem quer vender os seus bombons (ou outros produtos), chegou a hora de conceituar a marca. É nessa etapa que começa a ser formada a identidade do seu negócio.

Defina, por exemplo, se a sua loja vai focar em produtos mais elaborados e de maior valor ou em uma linha mais popular. Claro que isso não será definitivo nem restritivo, mas é importante ter uma base para iniciar o posicionamento da marca.

Você pode optar por uma marca jovem e descolada ou uma pegada mais séria e sofisticada, por exemplo. Quem deve orientar essa decisão é a pesquisa de mercado e o público-alvo definido. A questão, aqui, é que essas diretrizes sirvam para a criação de uma empresa coerente.

Defina os objetivos e a missão da sua empresa. Essas etapas podem parecer mera formalidade, mas são essenciais para construir os valores do seu negócio.

Nesse momento, você pode aproveitar para escolher o nome da loja. Lembre-se de que essa decisão é muito importante e não deve ser feita com base em “achismos”. O nome definido deve representar o conceito e os valores da marca e ser agradável e de fácil entendimento.

Desenvolver a identidade visual

O próximo passo para abrir um negócio é a criação da identidade visual. Ela deve contar um logo como elemento central, mas vai muito além disso.

A identidade visual compreende todos os elementos gráficos de representação da sua marca. Desde as etiquetas de preço até as embalagens, tudo deve fazer parte de um contexto coerente e organizado.

As cores, as formas e os elementos devem ser escolhidos para representar o conceito da marca e para atrair o público-alvo definido. Aqui, vale a pena o esforço de deixar o seu gosto de lado e confiar nos profissionais que vão desenvolver esse trabalho.

Não se esqueça da comunicação institucional. Faça um bom cartão de visitas, papel timbrado e assinatura para e-mails. São detalhes que trazem um aspecto profissional para a empresa e facilitam a realização de novos negócios.

Planejar a loja

Junto com a identidade visual, você deve fazer o planejamento da loja. Os móveis, expositores e a organização do espaço influenciam diretamente nas vendas e colaboram com a formação da imagem da empresa.

Planejar a circulação de pessoas, as áreas de destaque e a sinalização da loja garante os melhores resultados e evita desperdícios (sim, você pode economizar bastante se acertar todos os detalhes de 1ª!).

Produzir e instalar todo o material

Por fim, é preciso especial atenção na finalização dos materiais. A produção das peças gráficas, dos móveis e dos acessórios deve seguir um padrão rígido de qualidade. Afinal, uma fachada mal acabada, um cartaz manchado ou uma embalagem que se rasga facilmente podem comprometer a imagem da empresa.

O conceito da marca também deve ser respeitado. Se você optou por abrir um negócio de vendas de bombons finos para um público de alto poder aquisitivo, precisa entender que os materiais utilizados nos móveis, nas embalagens, na comunicação, e em tudo que identificar o produto ou marca, precisam ser sofisticados.

É fácil perceber que a criação da marca vai muito além de um nome e de um logo. Essa etapa definirá a essência do seu negócio e direcionará as futuras decisões, tanto na comunicação quanto na gestão da empresa.

As noções fiscais para abrir um negócio

Organizar a gestão financeira é um passo tão importante quanto qualquer outro quando se deseja abrir um negócio. É essencial entender a tributação que cada modelo de empresa recebe e definir o tipo de categoria a se enquadrar.

Saiba mais sobre esse assunto a seguir:

O tipo de empresa

Ao registrar o seu negócio, você precisará definir se vai funcionar como microempreendedor individual (MEI), microempresa (ME) ou empresa de pequeno porte (EPP). A principal diferença está na receita bruta.

O MEI é aquele empreendedor individual que fatura até R$ 60 mil por ano e não possui participação em nenhuma outra empresa. Já para as MEs, o faturamento anual não pode ultrapassar R$ 360 mil. Podem se enquadrar na categoria EPP os negócios que faturam até R$ 3,6 milhões anuais.

O planejamento e a projeção de vendas são essenciais para que você consiga prever o funcionamento da sua nova empresa e encontrar o melhor enquadramento fiscal e tributário. Um plano de negócios, por exemplo, pode ajudar nesse momento.

Os principais tributos

O peso dos tributos é um ponto importantíssimo do planejamento fiscal ao abrir um negócio. Eles vão influenciar na formação de preço e na margem de lucro, por isso você precisa ter consciência exata dos seus valores.

Basicamente, a sua empresa pagará impostos federais, estaduais e municipais. O Imposto de Renda sobre Pessoa Jurídica (IRPJ), por exemplo, é um imposto federal que incide sobre o lucro da empresa.

Já o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) é estadual e incide sobre produtos e alguns serviços. O Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS) é um imposto municipal também sobre a prestação de serviços.

É importante entender que nem todos os negócios são afetados por esses impostos. O MEI, por exemplo, é isento de IRPJ. Por isso, nada melhor do que procurar um profissional da área para ter uma consultoria na hora do planejamento fiscal da sua empresa.

A divulgação e o marketing

A divulgação da empresa pode — e deve — começar ainda antes de se abrir um negócio para o público. As estratégias de propaganda e de marketing são parte do planejamento e vão guiar o lançamento da marca.

A localização

Um dos famosos 4 Ps do marketing é a praça, que trata da localização do seu negócio. Uma loja de bombons é diretamente influenciada por esse fator. Afinal, é fácil imaginar que um local de difícil acesso prejudicará as vendas, certo?

Outro ponto importante é o conceito da marca. Se você definiu um público-alvo, precisa localizar onde ele está! A escolha entre uma loja de rua ou em um shopping, por exemplo, deve ser feita considerando esses aspectos.

O marketing digital

Atualmente, ignorar o marketing na internet é um grande pecado. O mundo digital pode ser uma oportunidade eficiente e barata de divulgar o seu negócio.

Comece construindo um site, mesmo que simples, e invista no marketing de conteúdo. Compartilhe informações sobre os seus produtos e vá além: eduque o público sobre os diferentes tipos de chocolate, das suas características às melhores combinações.

Isso ajuda, inclusive, a aumentar a percepção de valor sobre os seus produtos. Quanto mais bem-conceituada for a sua empresa, mais visibilidade ela terá.

As redes sociais

As redes sociais são outro importante canal de comunicação entre a empresa e os clientes. O acesso fácil permite que você identifique o que os consumidores pensam da sua marca e quais são os principais erros e acertos das suas estratégias.

Essa característica dinâmica de comunicação permite que você identifique oportunidades e corrija falhas com agilidade.

Crie perfis nas principais redes sociais e defina quem será responsável pela atualização. Lembre-se de que é preciso manter a frequência de postagens e sempre responder as mensagens do público.

A divulgação local

Apesar das inúmeras vantagens do marketing digital, não é inteligente ignorar o aspecto local ao abrir um negócio. Por isso, invista na criação de panfletos e em anúncios em publicações regionais.

Essas ações não costumam exigir grandes investimentos e trazem muito resultado. Outra opção interessante é a parceria com diferentes negócios locais para a troca de indicações.

Um salão de beleza que atenda o mesmo público que o seu, por exemplo, pode contar com um display da sua marca.

As promoções e a fidelização de clientes

O sonho de qualquer empreendedor é ter uma carteira de clientes recorrentes. Afinal de contas, o custo de fidelização costuma ser bem menor do que o de aquisição de um novo consumidor para a empresa.

Por isso, ao abrir um negócio, você deve planejar as estratégias para realizar promoções e buscar a fidelização de clientes. Confira algumas ideias:

A campanha de lançamento

Uma boa maneira de começar o seu negócio é criar uma campanha de lançamento. Como toda novidade, você precisa garantir que o maior número de pessoas, dentro do seu alvo, tome conhecimento da sua loja de bombons.

Para isso, vale contar com os canais de divulgação que mencionamos: sites, redes sociais e até anúncio em rádios, jornais e em canais de televisão locais. Tudo isso vai depender das características do seu público-alvo e do seu orçamento disponível.

Faça materiais atrativos e escolha alguns produtos para ganharem destaque nesse 1º momento. Aqueles itens mais especiais, que se sobressaem no portfólio, são mais interessantes para atrair a curiosidade dos consumidores.

Outra opção é a criação de brindes e de promoções especiais para o lançamento. Uma degustação de produtos, por exemplo, é uma boa maneira de apresentar a sua empresa e de conquistar os clientes pelo paladar.

A promoção focada no preço

As promoções com foco no preço podem ser muito interessantes, mas trazem algumas armadilhas escondidas. A oferta por um custo muito baixo, por exemplo, pode diminuir a percepção de valor do seu produto. Isso é especialmente prejudicial para novas marcas.

Se o seu foco for um público mais popular, isso não trará grandes problemas. Entretanto, vale ficar atento ao mercado.

As promoções sazonais

O marketing sazonal tem muito a acrescentar em uma loja de bombons. As datas especiais — como Páscoa, Dia dos Namorados e Natal — são pontos naturais de aumento de vendas. Logo, devem ter um espaço importante no planejamento do negócio.

Isso não quer dizer que os esforços devam ser exclusivos para elas. O Dia das Crianças, por exemplo, pode ser valorizado com produtos pensados especialmente para os pequenos. Vale ofertar embalagens personalizadas e opções com menos açúcar.

Entender as oscilações do mercado ajuda a planejar a comunicação e a receita do seu negócio. Isso evita que suas estratégias sejam prejudicadas pelos tempos de baixa.

O cadastro de clientes

Ao abrir um negócio, você precisará de informações sobre os clientes para poder ajustar as suas estratégias de negócios e de comunicação. A melhor maneira de conseguir isso é por meio de um cadastro detalhado.

Você pode solicitar informações no ato da compra — como nome completo, telefone e endereço — ou optar por uma pesquisa mais detalhada. Experimente criar um formulário breve, solicitando que o cliente liste os produtos que mais gostou, informe a sua faixa de renda e deixe as suas sugestões.

Outra opção é criar uma pesquisa nas redes sociais. Você pode solicitar que os interessados preencham um questionário e oferecer uma pequena recompensa em troca, como um desconto ou um vale-produto a ser usado na loja.

Além de conseguir informações de qualidade, você ainda traz mais clientes para dentro da sua loja de bombons.

O programa de fidelidade

Uma continuidade das ações de cadastro de clientes é a criação de um programa de fidelidade. Ele serve para oferecer recompensas aos consumidores recorrentes e pode ser organizado de diversas formas.

No geral, os programas de fidelidade funcionam com pontuação. A cada valor comprado, o cliente acumula um determinado número de pontos que podem ser trocados por descontos ou por produtos.

Outra opção são os selos. Você pode oferecer uma cartela na 1ª compra e, a cada nova aquisição, o cliente ganha um comprovante. Ao acumular 10 selos, por exemplo, ele conquista uma recompensa.

Essas estratégias devem ser planejadas cuidadosamente, inclusive no seu aspecto financeiro. Afinal, a intenção do programa de fidelidade é manter os clientes e aumentar as vendas, e não trazer prejuízo para o seu negócio, certo?

Lembre-se de que, muitas vezes, pequenos brindes são mais interessantes do que um grande prêmio acumulado.

A qualidade no atendimento

É claro que nenhuma dessas estratégias surtirá efeito se o atendimento ao cliente não for muito bom. Ninguém gosta de voltar a uma loja em que não foi bem tratado, não é?

Por isso, ao abrir um negócio, vale a pena investir no treinamento da equipe para garantir o bom atendimento e a fidelização dos clientes.

Além disso, mantenha o monitoramento constante das reações dos consumidores nas redes sociais. Elas costumam ser um bom termômetro para a sua avaliação.

Outra opção é deixar uma caixa de sugestões disponível para que o cliente se manifeste anonimamente. Esse tipo de ação facilita a identificação dos problemas no atendimento.

A importância das embalagens

Ao abrir um negócio, especialmente uma loja de bombons, você precisa prestar atenção especial a um detalhe: a escolha da embalagem certa para cada produto. Esse cuidado é determinante desde o início da sua empresa.

As embalagens têm diversas funções, todas elas muito importantes para a saúde da sua loja. Veja o porquê:

Proteger e transportar o produto

A função primordial das embalagens é proteger o produto no transporte e na exposição. E, quando o assunto é bombom, esse cuidado deve ser redobrado.

As embalagens de alimentos possuem características específicas e uma legislação que regulamenta o seu uso. Por isso, é essencial que você procure a orientação de profissionais para desenvolver as suas.

Afinal, o chocolate exige a manutenção da temperatura certa, além da proteção de choques no transporte. Ninguém quer receber um bombom com um amassado, não é verdade?

Transmitir valor

Outro ponto importante da embalagem é transmitir o valor do produto. Uma caixa sofisticada, com materiais nobres, por exemplo, leva a percepção de que o chocolate também é um item diferenciado.

Por isso a importância de adequar o desenvolvimento das embalagens às características do seu negócio e do seu público-alvo. Aqui, a qualidade do acabamento também conta muito. Um bom fornecedor vai garantir que você receba os melhores produtos, dentro do padrão estabelecido.

Melhorar a experiência de consumo

A embalagem tem uma função que vai muito além do aspecto racional: ela é responsável por despertar sentimentos, desejos e sensações nos clientes.

Um projeto diferenciado pode levar o cliente ao impulso da compra com mais facilidade. É o caso das edições temáticas para datas especiais. Uma caixa em formato de coração para o Dia dos Namorados, por exemplo, tem um apelo a mais.

O mesmo vale para os itens colecionáveis. Criar uma série de caixas com desenhos variados que podem ser reutilizadas é um incentivo para que o cliente consuma mais.

Diferentes materiais e formas de fechamento das embalagens também trazem um diferencial. Afinal, quem não gosta de perceber que aquele produto que acabou de comprar foi idealizado, produzido e entregue com cuidado e carinho?

Esses detalhes ajudam a melhorar a experiência de consumo dos seus clientes. Além disso, eles colaboram para a criação de uma memória afetiva com a marca. Esse tipo de cuidado é especialmente importante para quem acabou de abrir um negócio.

Representar a marca

Por fim, as embalagens são um meio de comunicar a sua marca. Elas vão levar o nome e a identidade visual da empresa para a casa dos clientes. Muitas vezes, esse é o 1º contato de um consumidor com o seu negócio.

Uma boa estratégia para aproveitar esse recurso é o uso de sacolas personalizadas. Elas servem como um outdoor ambulante, além de conter informações importantes de contato, por exemplo.

Aproveite e utilize esse item para divulgar as suas campanhas sazonais, comunicar as suas promoções e divulgar a sua marca. Lembre-se de que uma sacola de qualidade é frequentemente reutilizada pelos consumidores. Por isso, vale a pena investir em um layout bem projetado e na produção.

As caixas para bombons também são muito importantes para a construção da sua marca. Inclusive, aquelas projetadas para presente ajudam a levar o nome da sua empresa até a pessoa que vai receber o doce e, muitas vezes, ainda não conhece o seu negócio.

Abrir seu negócio de vendas de bombons é uma empreitada que exige cuidados e planejamento, mas que não precisa ser um bicho de 7 cabeças. Com atenção aos detalhes e a colaboração de profissionais e de fornecedores de qualidade, é possível ter sucesso sem grandes dores de cabeça.

Se você gostou das dicas deste post, tem alguma dúvida ou sugestão para quem quer abrir um negócio de venda de bombons, deixe o seu comentário!