Se a primeira impressão é a que fica, a embalagem é peça fundamental na promoção dos produtos. Muitas vezes, é um pacote atraente que determina se a mercadoria será bem aceita pelo público-alvo. Por isso, seu desenho e sua funcionalidade são tão importantes.

Ao criar uma embalagem deve-se considerar como ela vai acondicionar e apresentar o produto. Afinal, além de guardá-lo, ela deve comunicar os diferenciais da marca, permitir que o transporte seja feito facilmente e garantir que o cliente tenha uma boa experiência de consumo — e isso tudo enquanto valoriza aspectos sociais e culturais, bem como a facilidade de manipulação e reciclagem e a continuidade de fornecimento.

Para escolher entre os diferentes tipos de embalagens é essencial conhecer as características, os benefícios e as especificidades de cada um deles. Continue a leitura e descubra mais sobre esse universo!

A embalagem e a logística

Durante a movimentação dos produtos, a embalagem ajuda a protegê-lo e mantê-lo intacto. Ela está em todas as mercadorias, tem formas, funções, tecnologias variadas e ainda representa um componente estratégico para a marca. Não é pouca coisa!

Por isso, é essencial que exerça suas funções da forma mais eficiente possível. Afinal, os produtos devem chegar ao cliente no tempo certo, nas condições adequadas e ao menor custo possível. Sem isso, seu valor agregado cai.

A embalagem é classificada de acordo com a função que exerce. Assim, ela pode ser:

  • primária: é o recipiente que está mais próximo do produto. No caso de um perfume, por exemplo, é o vidro ou o plástico que o contém;
  • secundária: é usada para proteger a embalagem primária. É, por exemplo, a caixa em que o vidro de perfume é acondicionado;
  • terciária: é a embalagem de madeira, papelão, plástico ou outro material que contém várias embalagens secundárias;
  • quaternária: ela facilita a movimentação e o armazenamento. É ela que embala as terciárias;
  • quinto nível: é a opção confinada ou especial, usada para transporte de longa distância.

Cada uma dessas categorias de embalagem é usada de acordo com a necessidade durante o processo logístico.

Tipos de embalagens com base nos materiais utilizados

Os materiais disponíveis para embalagem são os mais variados. Conheça alguns dos principais deles a seguir!

1. Embalagem de madeira

A madeira foi um dos primeiros materiais usados como embalagem. Sua principal função é reunir uma grande quantidade de unidades em um mesmo recipiente.

Por exemplo, as caixas de madeira são utilizadas no transporte de frutas, hortaliças e legumes. Já as bobinas desse material são usadas para facilitar o transporte de fios, cabos e similares. E existem também os paletes, que são usados na movimentação de diversas embalagens desse tipo ao mesmo tempo.

Algumas lojas, principalmente de vestuário, têm adaptado esse tipo de embalagem para dar um ar retrô e descontraído ao seu ambiente, em prateleiras ou decoração. Contudo, esse é um dos tipos de embalagem menos comuns em pequenos empreendimentos, afinal, tem alto custo de confecção, pouca capacidade de proteção do produto da umidade e baixo conforto para o manuseio dos clientes.

2. Embalagem de papelão ou papel

Leves, adaptáveis a diversos formatos, fáceis de serem armazenadas e completamente recicláveis. Esses são apenas alguns dos benefícios das embalagens de papel ou papelão. São comuns em formato de caixas, sacos, sacolas, envelopes e fardos.

Essa opção é usada pela maioria das indústrias e lojas para proteger e transportar os produtos. O peso e os custos de produção são uma vantagem sobre as caixas de madeira. Por outro lado, tem baixa resistência à umidade e ao peso, o que pode torná-la pouco viável para a venda de determinados itens.

3. Embalagem de vidro

Apesar de serem frágeis, são extremamente elegantes. Trata-se de uma boa opção para mercadorias líquidas, úmidas ou pastosas que precisem expor o conteúdo da embalagem para os clientes.

Entre os exemplos mais convencionais de uso estão os perfumes e os cosméticos: além de serem charmosas, valorizam o produto, já que ampliam a percepção do comprador sobre seus diferenciais.

O vidro é uma boa alternativa para o armazenamento de itens que não interagem bem com plásticos. Contudo, essa é uma das opções mais poluentes, pois demora, em média, 4 mil anos para se decompor. O plástico, por sua vez, demora algumas centenas de anos, e o papel apenas alguns meses.

4. Embalagem de alumínio

Essa é outra boa opção para mercadorias que reagem mal a plásticos — é recomendada para mercadorias que não precisam expor seus conteúdos e ainda ajuda a conservar produtos que precisem ser protegidos da luz, da umidade, do odor e da ferrugem.

Além disso, é indicada para facilitar o resfriamento e o aquecimento do conteúdo. Por isso, é bastante usada por fabricantes de alimentos, bebidas e alguns laboratórios farmacêuticos.

A desvantagem da embalagem de alumínio está na fabricação. O elemento é derivado da bauxita, um mineral que causa altos níveis de poluição quando é extraído. Por isso, esse material é pouco indicado para marcas sustentáveis ou eco friendly.

5. Embalagem de plástico

As embalagens plásticas são muito utilizadas por serem extremamente adaptáveis e poderem ser moldadas a diversos formatos e tamanhos de produtos. É possível criá-las em formato de saco, envelope, película ou filme, engradado, caixa, frasco, garrafa, tubo e outros.

Assim, ela se molda a quase todos os tipos de produtos e é adequada para armazenar boa parte deles. Seu baixo custo de produção e sua flexibilidade de aplicação são duas grandes vantagens. Sua desvantagem é alterar alguns produtos, como os alimentos, que podem ter seu sabor modificado.

6. Embalagem de isopor

Esse tipo de embalagem é muito utilizado na indústria tanto para armazenar quanto para transportar alimentos frescos, além de restaurantes e fast foods que oferecem serviço de entrega. Isso porque ela é leve e ajuda a manter a temperatura dos alimentos.

Trata-se, porém, de uma opção não ecológica cuja reciclagem é cara — por isso, é comum que fiquem espalhadas na natureza e prejudiquem o meio ambiente. Além disso, não é viável do ponto de vista de marketing, pois impressões (logo e identidade visual da marca, por exemplo) ficam prejudicados nesse material.

7. Embalagem Tetra Pak

É um dos tipos de embalagens mais usados nas indústrias de leite, laticínios e bebidas. São compostas por:

  • papel-cartão: dá estabilidade, resistência e suavidade para a impressão de informações e rótulos;
  • polietileno: protege contra a umidade e permite que o papel-cartão seja melhor integrado à folha de alumínio;
  • folha de alumínio: é a responsável por preservar o alimento dos efeitos do oxigênio e da luz, de forma a manter as características e os aromas do alimento mesmo em temperatura ambiente.

8. Embalagem laminada

São aquelas feitas a partir da união de dois ou mais materiais. Pode ser, por exemplo, uma junção de película de polipropileno biorientada (Bi-axially Oriented Polypropylene — BOPP) metalizada com adesivo e BOPP transparente. Um dos usos mais frequentes são os pacotes de salgadinhos, mas ela está presente também em bolachas, cafés, leite em pó e outros.

Formatos de embalagens

Agora que você já conhece as vantagens e as desvantagens dos diversos tipos de embalagens com base em seu material de fabricação, aprenda mais sobre os formatos disponíveis. Alguns, apesar de pouco conhecidos, são  bastante usados pelo mercado. Acompanhe-os a seguir!

Caixas K

As antigas caixas de madeira estão sendo substituídas por caixas plásticas, mais resistentes à água e com melhores encaixes — o que facilita o transporte. A vantagem das Caixas K está na maior possibilidade de reaproveitamento da mesma embalagem para transportar grandes quantidades de produtos por diversas vezes.

Cartuchos

Sabe aquelas embalagens em papel cartão? O nome delas é cartucho. São usadas tanto para caixas de bombons, quanto para sabão em pó. Sua característica básica é ter uma forma estruturada e resistente que permite o empilhamento e facilita o transporte dos produtos.

Muitas marcas utilizam uma boa identidade visual e uma embalagem em formato de cartucho para valorizar seus produtos.

Sleeves

Já comprou algum produto que tinha uma espécie de película ou pele sobre sua embalagem principal? Essa película, que geralmente tem um desenho gráfico, é chamada de sleeve. A vantagem de utilizá-la é poder usar um mesmo tipo de embalagem principal para diversos produtos e trocar apenas a sleeve para diferenciá-los.

Shapes

Shape é a embalagem principal que o sleeve envolve. Sua função básica é permitir que a embalagem seja produzida em larga escala, de forma a diminuir o custo final. Entre seus benefícios está a possibilidade de criar rótulos e sleeves diferentes para personalizar as embalagens em datas especiais ou em ações promocionais.

Tripas

Há muito tempo as tripas deixaram de ser feitas com vísceras de animais e usadas apenas na confecção de linguiça. Atualmente, elas já são utilizadas como embalagem de vários tipos de alimentos, como mortadelas e patês. Outra mudança nesse processo foi a incorporação dos plásticos flexíveis. Além disso, elas são uma importante forma de redução de custos.

Pouches

Já há algum tempo, eles passaram a ser usados para substituir as embalagens em vidro, plástico ou latas para molhos, produtos de limpeza, refis de cosméticos e outros. São sacos plásticos flexíveis que têm uma estrutura para permanecer na vertical. O exemplo mais encontrado nos mercados atualmente são os molhos de tomate.

Blisters

Esse talvez seja um dos formatos menos conhecidos, mas a maioria dos consumidores já teve contato com produtos usando esse tipo de embalagem. Ela é formada por uma cartela suporte (que, em geral, é feita de papel cartão ou de filme plástico) sobre a qual o produto é fixado. É uma opção muito utilizada para acomodar pilhas e itens de cozinha, como talheres e acessórios.

Em resumo, escolher a embalagem mais adequada para seus produtos não é uma tarefa extremamente complexa. Basta avaliar e considerar critérios como melhoria na experiência de compra do cliente, proteção, transporte e utilização do produto.

Além, claro, de não se esquecer que a embalagem é um dos meios mais eficientes para atrair a atenção dos clientes e destacar um produto na gôndola. E você, já sabe quais são os melhores tipos de embalagem para seus produtos e cliente?

Quer continuar a aprender sobre tipos de embalagens? Então, aproveite e leia outros posts sobre o assunto. Para começar, sugerimos que entenda melhor como conquistar os clientes com a embalagem. Boa leitura!